Coringa ultrapassa a bilheteria de Liga da Justiça no Brasil!

Coringa ultrapassa a bilheteria de Liga da Justiça no Brasil!

A este ponto, já é inevitável: Coringa será o maior filme da DC no Brasil, tanto em faturamento quanto em ingressos vendidos. Sem ninguém para parar o palhaço homicida,...


Publicidade


Publicidade

A este ponto, já é inevitável: Coringa será o maior filme da DC no Brasil, tanto em faturamento quanto em ingressos vendidos. Sem ninguém para parar o palhaço homicida, ele conseguiu simplesmente derrotar todos os Super Amigos na bilheteria brasileira, usando para isso uma combinação imbatível de boca a boca e a mais absoluta falta de concorrentes relevantes.

 

Mesmo após cinco semanas em cartaz no país, Coringa se manteve em segundo lugar no ranking dos filmes mais assistidos do fim de semana. O longa comandado por Todd Phillips faturou mais R$ 7,4 milhões e levou quase 407 mil pessoas aos cinemas. Os totais do filme até o momento são absurdos: R$ 136,3 milhões de faturamento e 8,52 milhões de ingressos vendidos.

Publicidade

 

Com isso, Coringa já entrou para a lista dos 10 maiores faturamentos em reais da história do país. Ele deixou para trás as bilheterias de blockbusters como Os Vingadores (R$ 129,8 milhões) A Bela e a Fera (R$ 130 milhões), Batman vs Superman (R$ 132,8 milhões), Velozes & Furiosos 8 (R$ 133,4 milhões) e, sim, até mesmo Liga da Justiça (R$ 134,6 milhões). 

 

Publicidade

 

No momento, Coringa é o segundo maior faturamento da história da DC e da Warner no país, logo atrás de Aquaman, que havia arrecadado R$ 140 milhões entre o final do ano passado e o início deste. Mas é provável que até a próxima semana o Príncipe Palhaço do Crime já tenha derrotado o Rei de Atlântida e tomado dele a coroa da Warner no país. Quem diria…

Publicidade

 

Aliás, entre filmes baseados em quadrinhos, Coringa só perde por enquanto para os três últimos filmes dos Vingadores, Capitã Marvel, Capitão América: Guerra Civil e o próprio Aquaman. Incluindo o drama estrelado por Joaquin Phoenix e Robert De Niro, oito dos dez maiores faturamentos da história do país são longas relacionados de alguma forma a super-heróis ou quadrinhos lançados de 2015 para cá (seis deles tendo saído entre o ano passado e este), incluindo os filmes citados neste parágrafo e a animação da Pixar Os Incríveis 2. As únicas exceções são Velozes & Furiosos 7 (R$ 142,8 milhões) e o remake de O Rei Leão (o segundo colocado, com R$ 257 milhões).

 

Publicidade

Já quanto aos ingressos vendidos, Coringa até a noite de domingo estava ensanduichado entre Velozes & Furiosos 8 (8,5 milhões) e Aquaman (8,59 milhões), porém já tendo entrado no ranking dos 30 filmes mais assistidos da história no cinema nacional. Ao longo desta semana, o filme deve ultrapassar também Batman vs Superman (8,63 milhões de ingressos vendidos) e, claro, Liga da Justiça (8,64 milhões) – e quando isso acontecer, ele será o maior longa da DC também em ingressos vendidos no país, bem como o segundo mais assistido da Warner, logo atrás do clássico do cinema desastre dos anos 70 Inferno na Torre.

 

Publicidade

 

Além disso, o filme agora também é uma das 10 adaptações de quadrinhos que mais venderam ingressos no país, logo atrás dos quatro longas dos Vingadores, Guerra Civil, Capitã Marvel e os três longas da DC mencionados no parágrafo anterior. Portanto, o longa é a segunda maior “história de origem” para um personagem (ou, no caso, uma versão dele) que está estreando nas telas do cinema, logo atrás de Capitã Marvel – o Aquaman, claro, já havia aparecido em Liga da Justiça.

 

Publicidade

Coringa é também o quarto filme mais assistido de 2019 nos cinemas brasileiros, logo atrás de Vingadores: Ultimato, O Rei Leão e Capitã Marvel – e é bem provável que ele ainda ultrapasse a aventura estrelada por Brie Larson. Afinal, o filme teve uma queda de 38,3% no público, o que é excelente para um longa de quadrinhos em sua quinta semana, seja ele da Marvel ou da DC. Isso mostra que o boca a boca do filme continua bastante forte, com ele sofrendo poucas quedas no número de ingressos vendidos a cada semana.

 

Por isso, supondo um desempenho similar aos de Mulher-Maravilha, Aquaman e Pantera Negra (três filmes que também se seguraram exemplarmente nas bilheterias nacionais), Coringa deve sair de cartaz tendo vendido entre 9,56 milhões e 9,72 milhões de ingressos, o que o colocaria acima de Capitã Marvel e possivelmente de Guerra Civil. Caso ele consiga ultrapassar o terceiro longa do Capitão América, então ele seria o sexto filme relacionado a heróis mais assistido da história, atrás dos quatro Vingadores e de Os Incríveis 2.

Publicidade

 

 

Publicidade

Um sucesso monstruoso para o filme, para a DC e para a Warner, não concorda? O fato é que, desde que Batman vs Superman finalmente levou os longas da editora para quase o mesmo patamar dos grandes blockbusters do MCU, a DC vem conquistando gigantescos sucessos consecutivos no país – a única exceção foi Shazam! que, tendo estreado entre Capitã Marvel e Ultimato, acabou sendo quase ignorado nas bilheterias nacionais. Mas só isso não explica o absurdo sucesso de Coringa

 

Creio que, ao associar um popular supervilão do subgênero mais lucrativo na bilheteria nacional (os filmes de heróis) com uma espécie de longa “diferente” ao que o típico espectador brasileiro, que acompanha as aventuras repletas de efeitos especiais do MCU e do DCEU, não está acostumado, gerou uma fórmula vencedora, capaz de gerar um excelente boca a boca. Curiosos com a sombria história de origem de um dos vilões mais populares da história, contada no estilo dos clássicos de Martin Scorsese dos anos 70, o público compareceu em massa aos cinemas e contou aos amigos e colegas na escola, na faculdade e no trabalho.

Publicidade

 

Caso os longas de heróis queiram sobreviver no futuro próximo, talvez esta seja uma fórmula vencedora: utilizar a popularidade dos universos de quadrinhos para atrair os espectadores para filmes que eles de outra forma talvez não assistiriam. O que vem a seguir? Um thriller político e conspiratório com o Lex Luthor? Um suspense de mistério com o Doutor Destino? E será que tais filmes seriam capazes de repetir o feito de Arthur Fleck? É esperar para ver.

 

Publicidade

Bilheteria Brasil de 31/10/2019 a 03/11/2019:

 

Filme Semanas em cartaz Renda na semana (em R$) Público na semana Renda acumulada (em R$) Público acumulado
1- Malévola: Dona do Mal 3 9.053.704 520.536 56.188.498 3.421.057
2- Coringa 5 7.455.481 406.873 136.387.756 8.524.814
3- O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio 1 6.748.260 374.956 6.748.260 374.956
4- A Família Addams 1 6.204.214 363.403 6.204.214 363.403
5- Zumbilândia: Atire Duas Vezes 2 750.818 45.352 3.531.993 237.719
6- A Odisseia dos Tontos 1 682.726 32.426 682.726 32.426
7- Downton Abbey: O Filme 2 550.224 22.328 1.640.781 68.231
8- Maria do Caritó 1 298.577 17.059 298.577 17.059
9- Projeto Gemini 4 275.960 14.967 13.331.019 810.434
10- Angry Birds 2: O Filme 5 150.986 10.384 12.246.201 872.302

 


Você Comentou Este Artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.