20 anos de sucessos na bilheteria brasileira – Ano 2000

20 anos de sucessos na bilheteria brasileira – Ano 2000

Enquanto os cinemas estão fechados graças à epidemia de COVID-19, que tal olharmos para trás? Nesta série de matérias especiais, vamos conhecer os filmes que levaram multidões aos cinemas...

 20 anos de sucessos na bilheteria brasileira – Ano 2000

Publicidade


Publicidade

Enquanto os cinemas estão fechados graças à epidemia de COVID-19, que tal olharmos para trás? Nesta série de matérias especiais, vamos conhecer os filmes que levaram multidões aos cinemas brasileiros durante quase duas décadas nas bilheterias brasileiras.

Cada parte da matéria trará as 10 maiores bilheterias de cada ano do século, com uma análise em separado sobre suas performances, além das maiores aberturas, entre outros temas muito interessantes!

Para a primeira parte, conheça as maiores bilheterias do ano 2000:

Publicidade

Maiores bilheterias brasileiras em 2000:

 

# Nome do filme Data de estreia Nº de ingressos vendidos Faturamento (em R$)
1 Dinossauro 30/06/2000 3.381.958 15.024.741
2 Missão: Impossível 2 22/06/2000 2.726.879 15.602.455
3 Gladiador 19/05/2000 2.650.590 15.121.423
4 Xuxa Popstar 15/12/2000 2.394.326 9.624.288
5 Todo Mundo em Pânico 06/10/2000 2.333.955 12.378.892
6 O Pequeno Stuart Little 14/01/2000 2.195.334 9.854.590
7 O Auto da Compadecida 10/09/2000 2.113.358 11.327.598
8 X-Men: O Filme 18/08/2000 2.078.996 10.986.708
9 Beleza Americana 25/02/2000 1.836.266 10.864.826
10 Pokémon: O Filme 07/01/2000 1.809.124

Você se lembra de Dinossauro, a animação hiper-realista da Disney? O longa pode não ser tão icônico e conhecido quanto O Rei Leão, A Bela e a Fera ou Aladdin, porém a saga de Aladar foi um sucesso para a Casa do Mickey no Brasil. Aliás, o filme não apenas liderou as bilheterias naquele ano em nosso país, como também foi a segunda maior bilheteria para uma animação da Disney até então, superando por muito pouco Tarzan, do ano anterior (3,36 milhões de ingressos) e ficando atrás apenas do próprio O Rei Leão (5,13 milhões de ingressos).

Publicidade

Na segunda posição, temos o filme de ação Missão: Impossível 2. Comandado por John Woo e estrelado por Tom Cruise, o longa é até hoje polêmico (há quem goste, e há quem deteste), porém em 2000 foi um gigantesco sucesso em nosso país. Até hoje, trata-se do maior público para um filme da franquia de Ethan Hunt no Brasil, tendo vendido mais ingressos do que o primeiro em 1996 (1,33 milhão), o terceiro em 2006 (1,95 milhão), o quarto em 2011 (2,52 milhões), o quinto em 2015 (2,72 milhões, apenas 6.770 a menos do que o segundo) e o sexto em 2018 (2,57 milhões).

Em terceiro lugar, temos o épico vencedor do Oscar de Melhor Filme Gladiador. Tendo estreado em maio daquele ano e levado 2,65 milhões de pessoas aos cinemas, o filme é uma das maiores públicos nacionais para um longa que vendeu o maior prêmio da indústria americana do cinema – mas isso é graças à Academia preferindo premiar longas menores em detrimento dos maiores ao longo desta década (Argo triunfando sobre As Aventuras de Pi, Spotlight superando O Regresso, Parasita vencendo 1917, e por aí vai).

A Rainha dos Baixinhos estava em seu ápice no início dos anos 2000. Seu primeiro longa no milênio, Xuxa Popstar, foi o maior sucesso do Natal daquele ano na bilheteria tupiniquim, alcançou números ainda melhores que os de Xuxa Requebra no ano anterior, e foi um dos principais exemplos da época onde a apresentadora enfrentava de igual para igual as animações hollywoodianas pela atenção das crianças e o bolso dos pais.

Publicidade

Já os adolescentes preferiram conferir a paródia da franquia de terror Pânico com o até hoje adorado pelos jovens Todo Mundo em Pânico. Com piadas chulas e repletas de insinuações sexuais, o longa fez mais sucesso do que o próprio Pânico 3 (1,64 milhão de ingressos), lançado naquele mesmo ano.

Na sexta posição, outro filme infantil que viria a ser reprisadíssimo nas tardes da TV brasileira, O Pequeno Stuart Little. E, em sétimo lugar, um clássico do cinema nacional: O Auto da Compadecida. Apesar de já ter sido exibida em formato de minissérie pela Rede Globo em janeiro de 1999, sua versão condensada para os cinemas lançada 20 meses depois ainda foi bastante bem sucedida.

Publicidade

Se hoje em dia os filmes da Marvel são campeões de bilheteria (como você vai ver mais para a frente), duas décadas atrás não era assim. De toda forma, mesmo que não tenha ficado entre os cinco maiores filmes daquele ano, o primeiro X-Men ao menos conseguiu ser a maior bilheteria para a Marvel até então. Comparado com outros adaptações de quadrinhos, o filme levou mais gente aos cinemas do que os Batman de Joel Schumacher (1,82 milhão de ingressos para Eternamente e 1,91 milhão para Batman & Robin), e foi portanto a maior bilheteria nacional em quase uma década para um longa de super-heróis.

Finalmente, na nona posição, temos outro vencedor do Oscar de Melhor Filme: o controverso Beleza Americana, que alcançou bom público no país com sua história sobre um homem de meia idade que se apaixona pela amiga menor de idade de sua filha. E, para encerrar o top 10 daquele ano, Pokémon estava em seu ápice no final do século passado e início deste. Exibido na TV paga e na aberta, o primeiro longa da franquia de animação japonesa (hoje saudosa para muitos “vintões” e “trintões”) levou mais gente aos cinemas do que muitos filmes da Disney lançados nos anos 1990.

Publicidade

Maior fim de semana de abertura do ano: Missão: Impossível 2, com 565 mil ingressos vendidos. Naquela época, não apenas foi a maior estreia em 2000, como também a segunda maior da história até então, o que só mostra como o filme estrelado por Cruise foi o mais aguardado daquele ano. De toda forma, por muito pouco ele não foi superado: em sua estreia, X-Men vendeu apenas 860 ingressos a menos em sua própria abertura.

Número de salas de cinema naquele ano: 1.480

Público total: 72 milhões de ingressos vendidos

Publicidade

Média por sala: 48.649 ingressos por sala ao longo do ano

Em 2000, a indústria do cinema do Brasil ainda sentia o efeito do fechamento dos cinemas de rua e a mudança da sala para os shopping centers, bem mais caros e inacessíveis à população mais pobre de nosso país. Para se ter uma ideia, se nos anos 70 e 80 costumava-se vender mais de 100 mil (ou, ocasionalmente, mais de 200 mil, como houve em 1971, 1974, 1975, 1976, 1977 e 1978) ingressos por ano, a partir de 1990 o número de bilhetes anuais foi caindo progressivamente.

Publicidade

Naquele ano, de fato se vendeu mais ingressos do que nos dois anos anteriores, porém as salas ficaram menos cheias: em 1998, cada sala recebeu mais ou menos 54 mil ingressos, e em 1999 foram 52 mil. Isso provavelmente devido ao fato de que naquele ano não houve blockbusters grandes como Titanic (claro), O Sexto Sentido ou A Ameaça Fantasma.

Na próxima parte da matéria, você vai conhecer as 10 maiores bilheterias nacionais de 2001!

Fonte: Filme B.

Publicidade

Você Comentou Este Artigo
  1. Luiz disse:

    po cara obrigado pelas informações. realmente sou um quase trintão, lembro quando fui assistir o filme Pokemón. bons tempos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.