Godzilla vs. Kong chega a US$ 285 milhões nas bilheterias globais

Godzilla vs. Kong chega a US$ 285 milhões nas bilheterias globais

Após uma estreia arrasadora na China e em outros países no fim de semana passado, Godzilla vs Kong continuou firme e forte durante a Páscoa. O longa arrecadou US$...

 Godzilla vs. Kong chega a US$ 285 milhões nas bilheterias globais

Publicidade


Publicidade

Após uma estreia arrasadora na China e em outros países no fim de semana passado, Godzilla vs Kong continuou firme e forte durante a Páscoa. O longa arrecadou US$ 76,1 milhões fora da América do Norte ao longo do feriado e chegou a US$ 236,9 milhões nas bilheterias internacionais. Somado com seus números nos EUA, Godzilla vs Kong tem agora incríveis US$ 285,4 milhões.

Até amanhã ele deverá ultrapassar a marca dos US$ 300 milhões, tornando-se o segundo filme a fazê-lo desde o início da pandemia – Tenet, que saiu de cartaz com US$ 363,1 milhões arduamente conquistados, foi o primeiro. 

GvK conseguiu em apenas duas semanas (e em meio às restrições da pandemia) superar a bilheteria global de outros longas que estrearam antes do fechamento das salas, como Aves de Rapina (US$ 201,8 milhões) e Dolittle (US$ 245,5 milhões). Até a próxima semana ele deve superar os US$ 319 milhões de Sonic: O Filme e, considerando que não enfrentará concorrência por algumas semanas, pode se tornar o primeiro longa de Hollywood a bater a marca dos US$ 400 milhões desde Bad Boys para Sempre.

Publicidade

Todo esse sucesso se deve à uma ótima performance na China, país no qual GvK arrecadou US$ 44 milhões em seu segundo fim de semana, enfrentando uma queda de apenas 36%, excelente para um filme americano no país oriental. Com isso, o longa chegou a incríveis US$ 136 milhões nas bilheterias chinesas, um total maior do que o de sucessos como Alita: Anjo de Combate (US$ 133 milhões) e seu próprio antecessor no Monstroverso, Godzilla II: Rei dos Monstros (US$ 135 milhões). 

Assim, trata-se da maior performance de um longa hollywoodiano na China desde que Frozen II arrecadou US$ 122 milhões por lá em 2019. Vale lembrar que, ao longo de 2020 e parte de 2021, vários blockbusters americanos tentaram a sorte no mercado chinês, então em recuperação após a pandemia. No entanto, longas como Tenet (US$ 66 milhões na China), Mulan (US$ 41 milhões), Mulher-Maravilha 1984 (US$ 25 milhões) e Raya e o Último Dragão (US$ 18,7 milhões) acabaram arrecadando abaixo das expectativas.

Publicidade

Segundo projeções, espera-se que Godzilla vs Kong encerre sua carreira com imensos US$ 193 milhões na China, o que seria um total maior do que sucessos como Capitã Marvel (US$ 154 milhões) e seu colega de Monstroverso Kong: A Ilha da Caveira (US$ 168 milhões). Caso isso ocorra, será o primeiro longa hollywoodiano a chegar perto dos US$ 200 milhões na China desde que Homem-Aranha: Longe de Casa e Velozes & Furiosos: Hobbs & Shaw bateram essa marca em meados de 2019.

Fora da China, os maiores mercados do longa são México (US$ 13 milhões), Austrália (US$ 10,9 milhões), Taiwan (US$ 9,7 milhões) e Rússia (US$ 9,6 milhões). Em países como Colômbia, Espanha, Arábia Saudita e Coréia do Sul o longa não caiu muito no segundo fim de semana em comparação com o primeiro.

Sim, os cinemas em vários mercados importantes como o Brasil e parte da Europa ainda se encontram fechados devido ao grave momento na pandemia vividos por estes países. Mas, como GvK deve estrear neles eventualmente, não é absurdo imaginar que o longa alcance os US$ 500 milhões, aproximando-se da bilheteria (não ajustada) de outros filmes de monstros gigantes, como o King Kong de 2005 (US$ 562,3 milhões), o Godzilla de 2014 (US$ 524,9 milhões) e o próprio A Ilha da Caveira em 2017 (US$ 567 milhões).

Publicidade

Vamos torcer para que os números da pandemia no Brasil melhorem logo para permitir que Godzilla vs Kong possa estrear no país em 29 de abril, conforme agendado pela Warner. Lembre-se de fazer sua parte e lavar as mãos, usar máscaras e manter o distanciamento de outras pessoas para que possamos voltar a ir aos cinemas com segurança.

Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.