007: Sem Tempo para Morrer é a 5ª melhor estreia anual na bilheteria americana

007: Sem Tempo para Morrer é a 5ª melhor estreia anual na bilheteria americana

Depois de arrecadar números decentes ao redor da Europa, a nova aventura de James Bond 007: Sem Tempo para Morrer finalmente chegou aos cinemas dos EUA e Canadá. E...

 007: Sem Tempo para Morrer é a 5ª melhor estreia anual na bilheteria americana

Publicidade


Publicidade

Depois de arrecadar números decentes ao redor da Europa, a nova aventura de James Bond 007: Sem Tempo para Morrer finalmente chegou aos cinemas dos EUA e Canadá. E seus números na bilheteria doméstica foram levemente decepcionantes.

O longuíssimo (2 horas e 45 minutos de duração) filme de espionagem arrecadou US$ 56 milhões entre sexta e domingo na América do Norte. Trata-se da quinta maior abertura de 2021 nos cinemas americanos, à frente de Um Lugar Silencioso: Parte II (US$ 47 milhões) porém atrás de Velozes & Furiosos 9 (US$ 70 milhões), Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis (US$ 75,3 milhões), Viúva Negra (US$ 80,3 milhões) e Venom: Tempo de Carnificina (US$ 90 milhões).

Sem ajustar pela inflação, trata-se também da menor abertura americana para um filme da franquia 007 desde Cassino Royale, que arrecadou US$ 40 milhões em seu primeiro fim de semana em novembro de 2006. Porém, com os valores ajustados, Sem Tempo para Morrer obteve o menor público de estreia para qualquer filme do agente inglês desde O Amanhã Nunca Morre, cujos US$ 25 milhões em dezembro de 1997 valeriam US$ 49 milhões atualizados.

Publicidade

Se comparado com outros franquias de espionagem, Sem Tempo para Morrer estreou acima de Kingsman: O Serviço Secreto (US$ 36 milhões) e sua sequência O Círculo Dourado (US$ 39 milhões), bem como de Missão: Impossível – Nação Secreta (US$ 55 milhões) porém abaixo de Jason Bourne (US$ 59 milhões) e Missão: Impossível – Efeito Fallout (US$ 61 milhões).

Por terem como público alvo uma audiência mais velha, filmes de agentes secretos costumam ter longas carreiras pós estreia nas bilheterias. Jason Bourne saiu de cartaz com US$ 162 milhões, quase o triplo de sua estreia, enquanto os dois últimos Missão: Impossível encerraram suas carreiras com US$ 195 milhões para Nação Secreta e US$ 220 milhões para Fallout.

Publicidade

Além disso, os filmes de James Bond são conhecidos por terem desempenhos decentes mesmo enfrentando blockbusters (teoricamente) muito mais fortes. Em novembro de 1995, GoldenEye enfrentou a comédia Ace Ventura 2: Um Maluco na África e a animação Toy Story, que viria a ser o campeão da bilheteria doméstica daquele ano, e emergiu desse confronto com US$ 106 milhões, um recorde para a franquia na época. Dois anos depois, O Amanhã Nunca Morre estreou no mesmo fim de semana que ninguém menos que Titanic e, apesar de não liderar as bilheterias em nem um único fim de semana, faturou US$ 125 milhões nos EUA e US$ 340 milhões global, ao mesmo tempo em que o épico de James Cameron velejava rumo aos US$ 600 milhões na bilheteria doméstica e US$ 1.8 bilhão (!) mundialmente.

Em 2002, 007: Um Novo Dia Para Morrer precisou batalhar com dois blockbusters de fantasia, Harry Potter e a Câmara Secreta (US$ 262 milhões nos EUA/US$ 876 milhões global) e O Senhor dos Anéis: As Duas Torres (US$ 343 milhões nos EUA/US$ 919 milhões global), bem como as críticas ruins, para conquistar seus US$ 160 milhões na bilheteria doméstica e US$ 431 milhões global. Quatro anos depois, o reboot da franquia Cassino Royale também ficou atrás do infantil Happy Feet: O Pinguim durante toda a sua carreira, e ainda assim conquistou US$ 167 milhões nos EUA e US$ 594 milhões global. 

Publicidade

Finalmente, em 2012 Operação Skyfall batalhou contra o final da Saga Crepúsculo em Amanhecer: Parte 2 e a volta da Terra Média aos cinemas em O Hobbit: Uma Jornada Inesperada, e conseguiu superar ambos tanto nos EUA quanto na bilheteria internacional. Seus US$ 1.11 bilhão representaram a segunda maior bilheteria global do ano atrás de Os Vingadores e o maior sucesso global da Sony/Columbia até o lançamento de Homem-Aranha: Longe de Casa sete anos depois.

Enfim, como dá para ver acima, a franquia 007 tem o costume de batalhar contra filmes voltados para o público infantil ou mais jovem, e ainda assim emergir com ótimos números. Tudo isso graças ao seu apelo com cinéfilos mais velhos e números consistentes, principalmente em mercados europeus.

Publicidade

Por isso, mesmo enfrentando concorrentes como Venom: Tempo de Carnificina, Duna e Halloween Kills, Sem Tempo para Morrer pode ter uma longa carreira e, se desempenhar como Skyfall, pode ultrapassar Viúva Negra (US$ 184 milhões) e se tornar uma das maiores bilheterias do ano nos EUA.

Fora da América do Norte, o thriller estreou em segundo lugar na França com valores similares aos de Skyfall, enquanto no Reino Unido chegou aos US$ 70 milhões. Seu desempenho está sendo similar aos dos últimos longas estrelados por Daniel Craig na maioria dos mercados.

Assim, ele chegou a US$ 257 milhões na bilheteria internacional e US$ 313 milhões global. É a nona maior do ano até o momento e a terceira maior (juntamente com Shang-Chi e Viúva Negra) para um filme que não foi exibido nos cinemas chineses – embora sua estreia no país asiático esteja marcada para o fim do mês.

Publicidade

Considerando a força de sua performance na Europa, a possibilidade de um bom desempenho pós primeiro fim de semana nos EUA, e o fato de que ele ainda precisa estrear na China e na Austrália, é razoável supor que Sem Tempo para Morrer vai ultrapassar os dois longas do MCU do ano até o momento (Viúva tem US$ 379 milhões e Shang-Chi faturou US$ 401 milhões).

E você, o que achou da estreia de 007: Sem Tempo para Morrer? Comente conosco!

VEJA TAMBÉM:

Publicidade
Outros detalhes: Folha
Site Parceiro
© 2019-2022 Legado Plus, uma empresa da Legado Enterprises.